Um estabelecimento que ultrapassa em muito as fronteiras do concelho

Notícias

No mundo dos espaços de diversão não é comum na região encontrar casas que se aguentem no ativo durante décadas sempre com a mesma designação e que atraiam clientes de sítios muito distantes.

Por: Jorge Moutinho

A área de trabalho referente aos bares, discotecas e danceterias é das mais voláteis, pois boa parte dos espaços não se aguentam abertos durante muitos anos e apesar de se chamar normalmente a esta área, o “mundo da noite”, a verdade é que há espaços de diversão que funcionam durante o dia, com horários específicos e com um traço distinto e que marcam os meios onde se encontram.

O estabelecimento de diversão mais antigo do concelho de Vila Pouca de Aguiar sempre a funcionar praticamente com a mesma designação, é a “Dancetaria Mami Bar” na Gralheira (freguesia de Telões). Com mais de três décadas de existência, este estabelecimento foi fundado pelo Senhor Manuel Fernandes, pai de Bruno Fernandes que é o atual dono, e desde há muitos anos que atrai clientes vindos de muito longe.

Tendo crescido no seio deste negócio familiar, Bruno Fernandes assumiu há vários anos as rédeas e afirma orgulhoso que o “Mami Bar” sempre teve a felicidade de atrair clientes de locais tão distantes como Chaves, Vila Real, Bragança, Mirandela, Lamego, Viseu ou Régua entre outros, considerando que os segredos são por exemplo, o contacto de proximidade com os clientes e o facto de ter artistas a atuar ao vivo, às vezes mais do que um par deles durante o mesmo dia.

Bruno Fernandes gerente da “Dancetaria Mami Bar”

O Sr. Bruno atribui naturalmente importância aos clientes do concelho aguiarense, mas sempre vai lamentando que a emigração nos últimos anos tenha afastado muitas pessoas, pois em sua opinião isso faz-se sentir. Durante três anos, explorou um bar em Vila Pouca de Aguiar de nome “Mami Café Bar”, situado na Urbaguiar (atual “Granel Bar”), e desde há uns anos, o negócio expandiu para Vila Real, onde está aberta na Zona Industrial a “Dancetaria Mami Dance”. Também aí o negócio corre muito bem pois isso também beneficia do facto de o estabelecimento se situar numa zona de boas acessibilidades.

Voltando à Gralheira, o “Mami” como é mais conhecido, abre aos Domingos de tarde e vésperas de feriado e fecha durante o Verão pois o espaço é muito quente nessa época do ano e também porque no entender de Bruno Fernandes, não se deve competir com as festas de Verão que animam a Zona do Vale (tal como animam o resto do concelho). Local de encontros e de romances o “Mami” é também muito conhecido por ser um espaço onde muitos casais se conheceram (acabando depois por casar) e isso é confirmado por Bruno Fernandes.

Sara Monteiro de 24 anos é colaboradora há muito tempo do “Mami” na Gralheira e em Vila Real, e é de opinião de que a danceteria na Gralheira é um espaço muito familiar na verdadeira dimensão da palavra pois trata-se de um estabelecimento que possui um espaço verde para as crianças brincarem e por isso os pais podem levar os filhos e passar uma tarde em família. Os espaços de diversão necessitam sempre de se adequar aos gostos dos clientes que os procuram e para Sara, o “Mami” faz isso muito bem.

Sara Monteiro com a cliente Filipa Fernandes

Por falar em clientes que vêm de longe, a RCA foi encontrar a jovem e enérgica senhora Filipa Fernandes de 61 anos que veio da Sabrosa. Confessa que gosta de dançar e que isso ajuda a esquecer a amargura da vida. O atendimento e o conforto são bons na sua opinião e vai-se sempre conhecendo pessoas novas.

A “Dancetaria Mami Bar” situa-se no Lugar de Gralheira e é o estabelecimento de diversão mais antigo do concelho aguiarense que se encontra em funcionamento com praticamente a mesma designação há mais de 30 anos. Quer se goste ou não do estilo de um espaço de diversão, a verdade é que o “Mami” é já um símbolo do concelho aguiarense no que diz respeito ao convívio e à animação.

Menu