Passos a dar no futuro do concelho de Vila Pouca de Aguiar foram debatidos

Local, Notícias

Decorreu ontem ao final da tarde, uma reunião entre o Presidente da Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, Alberto Machado e os Presidentes das Juntas de Freguesia do concelho aguiarense. O encontro teve lugar no Auditório do Palacete Silva e contou também com a presença do Presidente da Assembleia Municipal, Álvaro de Sousa e do Coordenador Municipal da Proteção Civil, Duarte Marques.

Por: Jorge Moutinho

O autarca aguiarense iniciou a reunião referindo que foram tomadas medidas para gestão de pessoal nos serviços camarários, devido à Pandemia mundial provocada pelo Coronavírus (Covid-19). Essa gestão será feita através da emissão de uma ordem de serviços, que pretende articular procedimentos internos ao nível da gestão de pessoal, pois Alberto Machado frisou que “O objetivo é não encerrar a Câmara Municipal”.    

 Assim e em traços gerais, alguns funcionários das diferentes divisões dos serviços municipais ficarão a trabalhar, enquanto outros ficarão em casa de prontidão. Ao fim de 15 dias, haverá uma alternância de pessoal e os funcionários que estavam a trabalhar vão para casa, sendo substituídos pelos restantes. Essa situação de alternância servirá para manter os diferentes serviços em funcionamento nas tarefas essenciais, sempre com uma retaguarda disponível, com o fim de evitar o encerramento forçado dos serviços, pois acerca desta alternância, refere Alberto Machado que servirá “Para evitar que estejam todos juntos mas essencialmente para permitir continuidade de serviços”. Essa situação de alternância continuará até uma posterior avaliação da situação em Portugal, que numa primeira fase está agendada para 9 de Abril.

Na reunião foi também debatido um tema central que tem a ver com a água. Pois há tarefas que não podem parar como o tratamento das águas e por isso debateu-se a continuidade do abastecimento de água à população. No que diz respeito às faturas, o autarca referiu que o prazo de pagamento sofre alterações, ou seja as faturas de água que eram para ser pagas num prazo de 30 dias, passam a poder ser pagas num prazo de 90 dias.

No que diz respeito às Juntas de Freguesia, foi debatida a prestação de assistência às pessoas mais idosas, e neste particular, foi aconselhado que as juntas possam contactar com as pessoas mais desfavorecidas e mais idosas, para se inteirarem sobre os medicamentos e mantimentos que necessitem. E se necessário as juntas poderiam também articular-se com outras entidades municipais como por exemplo a Proteção Civil, de forma a suprir eventuais falhas nos recursos humanos ou transportes. De qualquer das formas apesar de os serviços da Câmara Municipal e das Juntas de Freguesia permanecerem abertos, as pessoas só devem deslocar-se presencialmente até lá se for absolutamente indispensável, e foi essa também uma recomendação que saiu da reunião de ontem, bem como também foi recomendado às juntas que façam alternância de pessoal, para proporcionar uma retaguarda que assegure o funcionamento dos serviços em caso de situação de contágio.

Ontem saíram a terreiro notícias de que alguns aguiarenses se estariam a voluntariar para prestar assistência aos mais idosos e necessitados, no que diz respeito à aquisição de bens alimentares, medicamentos e outros mantimentos essenciais. Ora Alberto Machado e Duarte Marques frisaram que poderá ocorrer no futuro uma colaboração entre as Juntas de Freguesia, Proteção Civil, voluntários e outras entidades para que se estabeleça um modelo de cooperação, identificação e formação visto que por exemplo sem uma formação básica sanitária, um voluntário desprevenido poderá ser um agente de contágio. Além disso o combate à fraude também está cima da mesa, pois Alberto Machado refere que muitos voluntários são bem-intencionados, mas é preciso impedir que haja quem fique com o dinheiro das pessoas sem adquirir os mantimentos que lhes foram confiados.

O autarca referiu também que não há casos confirmados de infeção por Covid-19 no Alto Tâmega, e fez questão de lembrar que quem está de quarentena deve levá-la a sério e ficar em isolamento tendo revelado contactos de pessoas em quarentena que pretendiam ficar alojados nos albergues do concelho e noutros equipamentos turísticos. Por essa razão foram dadas instruções para o encerramento dos albergues no concelho.

Alberto Machado revelou também que foram encomendadas máscaras e material desinfetante que ficará à disposição na Câmara Municipal e nas Juntas de Freguesia, material esse que era apontado que chegasse durante o dia de hoje. Além disso foi debatido o apoio que as IPSS concelhias podem solicitar ao município caso necessitem.   

Estes foram os pontos-chave da reunião de ontem entre o Presidente do Município, Presidente da Assembleia Municipal, Coordenador Municipal da Proteção Civil de Vila Pouca de Aguiar e os Presidentes das Juntas de Freguesia, onde ficaram determinados os passos a dar no futuro próximo que aguarda os aguiarenses, pois para Alberto Machado “O processo correto é estarmos na primeira linha de apoio às nossas comunidades”.     

Menu