“Crescer com a diferença”, com ternura e dedicação

Local, Notícias

O projeto “Crescer com a diferença” junta crianças a jovens e adultos portadores de deficiência, numa partilha de atividades e brincadeiras que ajudam a combater o preconceito. 

As crianças da creche do Centro Social e Paroquial Padre Sebastião Esteves, juntamente com os utentes do Centro de Atividades Ocupacionais (CAO), todas a semanas partilham atividades desde a horta pedagógica, onde regam ou arrancam ervas, à música ou animação.

Daniela Cardoso, diretora do CAO, considera as atividades em conjunto fundamentais para que as crianças, no futuro, desconstruam determinadas barreiras, e para que os utentes do CAO tenham outro tipo de responsabilidades no dia a dia.  “Inicialmente os pais das crianças estavam reticentes, mas entretanto começaram a perceber que os meninos reagiam bem aos abraços, aos afetos e ao contacto”, explicou a responsável.

Muitas das vezes as crianças olham para os jovens e adultos do CAO e vêem um exemplo a seguir. Por outro lado os utentes desenvolvem também um certo sentido paternal. Sara Pinto, uma das diretoras da creche, considera que toda a gente tem algo para ensinar ao mundo e os utentes do CAO não são excepção. “O facto de eles se sentirem responsáveis e autónomos, permitiu uma evolução muito significativa ao longo do tempo”, acrescentou Sara Pinto.

Também a associação juvenil Animódia tem um papel fundamental no projeto “Crescer com a diferença”. A associação é parceira da iniciativa e acaba por ligar os mais pequenos e os mais graúdos através da  música e da arte circense. “Tudo o que esteja ligado às artes melhora a percepção da vida e do quotidiano, e isso desenvolve outras capacidades para o futuro”, confessou José Miguel, membro da Animódia.

Atualmente o projeto envolve 8 jovens e adultos do CAO e mais de 40 crianças da creche. Todas as semanas desenvolvem atividades que lhes permite melhorar o seu desenvolvimento físico e a adaptação na sociedade, mas também aprendem coisas tão importantes como zelar pela natureza e pelo meio ambiente, como foi o caso da atividade da passada quarta feira. “Para evitar o lixo no Carnaval estamos a fazer confetis com folhas secas, e assim também trabalhamos a parte da motricidade”, explicou Daniela Cardoso. (Acompanhar na galeria)

Para além das atividades lúdicas e didáticas que o projeto desenvolve, a creche em conjunto com o CAO estão a realizar visitas domiciliárias às casas dos utentes do Centro de Atividades Ocupacionais, de forma a conhecerem o dia a dia e aquilo que os pais ou encarregados dos utentes sentem relativamente à progressão dos seus jovens e adultos, desde que começaram a frequentar o CAO. “Todos os pais sentem uma enorme evolução dos filhos (…) um dos aspetos que eles nos pedem para trabalhar é o simples ato de apertar os atacadores das sapatilhas, que parece uma tarefa muito simples mas é complicada para eles”, contou Sílvia Carreira, uma das diretoras da creche.

No concelho de Vila Pouca de Aguiar, existem mais de 100 pessoas portadoras de deficiência. À medida que o projeto “Crescer com a diferença” aumentou também a lista de espera cresceu. No entanto, só há 8 vagas na instituição. Daniela Cardoso conta que o futuro do projeto passa pela realização de obras, com o objetivo de aumentar a capacidade de oito utentes para cerca de 30.

Ouça a reportagem completa.

Daniela Parente 

Menu