Adoção de mais medidas de contingência face à situação de pandemia

Local, Notícias

A situação de Pandemia mundial provocada pelo Coronavírus (Covid 19) levou a que Portugal se encontre neste momento em Estado de Emergência. Isso tem levado as autarquias, entre as quais a aguiarense a adotar várias medidas de contingência.

Por: Jorge Moutinho

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar em entrevista à RCA fez um ponto de situação no concelho aguiarense a vários níveis, deixando recomendações mas não só. Alberto Machado começou por deixar uma pequena mensagem de esperança para o futuro, pedindo coragem aos aguiarenses.

Na sequência de um decreto governamental, foi definido que o atendimento presencial nas autarquias deve ser feito mediante agendamento com antecedência. Os cidadãos que queiram ser atendidos presencialmente na autarquia aguiarense, devem fazê-lo em caso de grande necessidade e devem acima de tudo ligar para a câmara para agendar primeiro, de acordo com o referido por Alberto Machado nesta entrevista.

O município e a GNR estão de acordo com o autarca a acompanhar a situação dos emigrantes que estão a regressar ao concelho e que devem efetuar uma quarentena obrigatória de 14 dias e nesse sentido, Alberto Machado faz questão de relembrar à comunidade por várias vezes as recomendações do governo de só se sair de casa por motivos indispensáveis como sejam o ir trabalhar ou ir ao supermercado ou à farmácia por exemplo.

O prolongamento dos prazos de pagamento das faturas de água, a isenção dos pagamentos de renda (dos meses de Março, Abril e Maio) para comerciantes que tenham os seus negócios em edifícios municipais, e outras medidas anunciadas pelo autarca, serão levadas na quinta-feira à Reunião de Câmara, conforme anunciado nesta entrevista, onde foi referido também que os contactos entre o município e as entidades governamentais não tem sido muito regular ao contrário dos contactos entre os municípios do Alto Tâmega que se desenrolam com frequência. Com frequência também são mantidos contactos com as autoridades regionais de saúde e no que respeita à prestação de cuidados, as Extensões de Saúde de Pedras Salgadas e de Campo de Jales encerraram por tempo indeterminado, sendo que questões relacionadas com tratamentos curativos devem ser tratadas no Centro de Saúde de Vila Pouca de Aguiar, onde as consultas abertas encerrarão todos os dias às 20 horas. No que respeita à medicação as pessoas devem pedi-la, ligando para o Centro de Saúde em Vila Pouca de Aguiar.

Alberto Machado destacou a articulação entre as IPSS do concelho aguiarense, a autarquia e outras entidades, relembrando que antes da declaração do Estado de Emergência e antes de várias medidas terem sido implementadas a nível nacional, a autarquia aguiarense já acompanhava a situação e se articulava com as IPSS concelhias.

Um dos maiores empreendimentos dos últimos anos em Portugal, envolve diretamente o Concelho de Vila Pouca de Aguiar, tratando-se claro está do Sistema Electroprodutor do Tâmega que contempla a construção de barragens e outras estruturas em algumas freguesias do concelho aguiarense. Ora um empreendimento desta natureza envolve a movimentação semanal de centenas de trabalhadores no concelho e Alberto Machado nesta entrevista, manifestou a sua preocupação de que a grande mobilidade laboral deste projeto possa acarretar potenciais situações de contágio. Nesse sentido revelou que contactou a Iberdrola e outras entidades responsáveis pela fiscalização do projeto e vai mais longe sugerindo que este empreendimento deveria ser suspenso enquanto se verificar esta situação restritiva, decorrente da pandemia.

Ainda na prestação de assistência à população, o autarca referiu que foi criada uma linha telefónica de apoio para as pessoas saberem o que fazer caso apresentem sintomas semelhantes aos causados pela infeção por Covid 19 e à data desta entrevista estava em preparação a criação de outra linha de apoio emocional para ajudar as pessoas a atravessar este período crítico, nunca antes vivido nas últimas décadas por boa parte da população.

O Presidente da Câmara fez questão de salientar por diversas vezes nesta entrevista as recomendações para se evitarem deslocações desnecessárias, frisando que no Alto Tâmega já se verificam casos de infeção por Covid 19, pois à hora desta entrevista estavam registados 3 casos (2 em Chaves e 1 em Valpaços) e à hora de escrita deste texto já estavam confirmados 7 casos (6 em Chaves e 1 em Valpaços).     

Menu