A arte em torno do linho e do tear

Local, Notícias

Com o decorrer dos anos e com as mudanças de costumes há tradições que são esquecidas. No entanto, a sabedoria e o manejar de quem viveu toda a vida com o linho e o tear nas mãos, nunca se esquece.

A Rádio Clube Aguiarense, em conjunto com a Universidade Sénior das Terras de Aguiar (USTAG), esteve em Soutelinho do Mesio para conhecer a dona Sílvia Eira, uma tecedeira de 77 anos que dedicou grande parte da sua vida à arte da tecelagem.

Silvia Eira explicou todo o processo da tecelagem, (que tem muito que se lhe diga), e orgulha-se de ter ensinado a arte a muitas crianças da aldeia.

A artesã não quis que o ofício parasse por ali e decidiu ensinar a sobrinha e afilhada, Susete Ribeiro, todos os truques da tecelagem.

Susete esteve emigrada e por motivos de saúde acabou por regressar a Portugal, onde se agarrou à arte que a madrinha outrora lhe ensinara. A sobrinha de Sílvia Eira não quer deixar morrer a tecelagem, mas, lamenta a falta de apoios que são dados ao artesanato. “Dá muito trabalho e as pessoas não dão o devido valor”, lamenta Susete.

Ouça a reportagem completa.

Daniela Parente 

Menu