Ana Guedes distinguida com o Prémio Pulido Valente

O artigo “Atomic force microscopy as a tool to evaluate the risk of cardiovascular diseases in patients”, realizado pela investigadora Ana Filipa Guedes, natural de Vila Pouca de Aguiar e publicado em 2016 na Nature Nanotechnology, é o vencedor do Prémio Pulido Valente 2017, que neste ano foi direcionado para a área da cardiologia.

A aluna de Doutoramento no Instituto de Medicina Molecular (iMM) analisou a interação entre o fibrinogénio (proteína do plasma sanguíneo decisiva no processo de coagulação e que tem sido identificada como potencial fator de risco nas doenças cardiovasculares) e os glóbulos vermelhos de doentes com insuficiência cardíaca crónica, por forma a perceber como o fibrinogénio influencia a agregação destas células. A Rádio Clube Aguiarense (RCA) entrevistou Ana Filipa Guedes, que nos explicou a sua investigação . Ouça a entrevista completa no podcast da RCA.

Entrevista: Luís Miguel Roçadas
Edição: Filipe Carneiro