Rogério Martins: “A população de Pedras Salgadas foi lesada”

Realizou-se, esta terça-feira, na Comissão Parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas, na Assembleia da República, em Lisboa, a audição de Alberto Machado, presidente da Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar e Rogério Martins, presidente da Junta de Freguesia de Bornes e Aguiar, sobre o Projecto Aquanattur,  rubricado em 2005 entre o Estado e a UNICER, o qual teve a classificação de Potencial Interesse Nacional (PIN). Este projeto tinha como base transformar os Parques Termais de Vidago e Pedras Salgadas em pontos turísticos de excelência na zona norte do país. Em Pedras Salgadas, o Aquanattur tinha dois objetivos: dinamizar a vertente industrial, nomeadamente o engarrafamento de Pedras Salgadas e a dinamização turística termal, com construção de um hotel, projetado por Siza Vieira, bem como a requalificação do Grande Hotel, no interior do parque, manutenção e abertura de fontes termais, requalificação da piscina, do minigolf, entre outras valências.

No ano de 2010, o Hotel Vidago Palace foi reinaugurado, depois de obras de requalificação. Contudo, em Pedras Salgadas, de acordo com o Partido Ecologista Os Verdes, que apresentou um projeto de resolução na Assembleia da Pública, há um ano, o empreendimento previsto não chegou a concretizar-se na sua totalidade. Ouça o podcast da RCA e fique por dentro do assunto.