Auto da Paixão uniu a comunidade que, mobilizada, protagonizou um momento de forte simbologia cristã

Surgiu um arco-íris numa noite de estrelas que iluminou o caminho da esperança. O Auto da Paixão que se realizou na noite de sexta-feira Santa na praça João Paulo II mobilizou centenas de pessoas que encarnaram o papel de interpretadores ou de espetadores dos últimos momentos da vida de Jesus Cristo.
Impulsionado conjuntamente por Paróquia e Município, dezenas de atores amadores, figurantes e técnicos socioculturais levaram a efeito sob a coordenação do pároco António Paulo e, a nível cénico, de David Carvalho da companhia de teatro Filandorra, um acontecimento representativo da Paixão de Cristo.
A assistir, estavam cerca de seiscentas pessoas sentadas e, pelo menos, outras tantas de pé; a representar, dezenas de aguiarenses e amigos destas terras de Aguiar que vestiram diferentes personagens e em que pela entrega e essência foi relevada a atuação de Pedro Vasconcelos no papel de Jesus Cristo.
A sustentar o palco principal destes momentos com mais de dois mil anos de história, estiveram os elementos da Banda Musical do Pontido e do Orfeão de Terras de Aguiar que contribuíram para uma noite celestial.
Através da representação teatral e musical, os intérpretes de diferentes idades demonstraram que a comunidade aguiarense está bem viva. No final, o público aplaudiu e o autarca Alberto Machado felicitou os intervenientes.